8.9.06

cambalhotas nos trilhos imperceptíveis de uma viagem que se arrasta para que demore. foi e é avante sempre que se queira. não há festa como a festa que se faz.

5.9.06

chego de um avante de proximidades e esbarro no mesmo universo frio e distante da cidade surda. mas a festa... kussondulola, 16h. num calor difícil mesmo à sombra, arriscamos dançar ao sol e fomos regados e felizes. (no dia a seguir, fomos nós os mensageiros da água - alguém se lembra? e o chet baker aos olhos de laurent filipe, bica, barreto e zé eduardo em contra3aixos delirantes, a skazada contagiante dos obrint pas e mais festas espalhadas pela festa. e uma vénia maior e surpreendida pelo teatro músical dos babylon circus. (exageradamente aconselhável) e pelos reencontros e novos cruzamentos, pela música incansável e por vezes inspirada... (estou rouco mas mais músico) pelas comidas, vinhos e marroquinos; pelas "marroquinas". e é no mesmo lá e cá daquilo que sou que chego à casa de sempre e me esperguiço de felicidade.
A minha foto
........................gra(')f.ico.ismo.onola.......... demasiado colado à palavra para ser uma outra coisa que não isto. utopia de mim, abismos da imagem arrancada e digerida.

O ROSTO À LUPA DE MIM

blog inTemporal

O dia de hoje podia muito bem ter sido um outro. Amanhã vemos isso.
Loading...