12.8.06

primeira palavra pós qualquer coisa que ainda há-de vir...

trofa (provisória e irritante,espero.)
povoa de Varzim (perto de vila do conde o que já parece suficiente.)
porto (que bem se esta por ali. cidade de sempre ainda com tanto por encontrar em esquinas de turista, com esses olhos.)
e num salto maior, praca do geraldo, évora dos petiscos e vinho fresco, e mais a volta que lembra sempre historias.
viagem.
quanto valem as tuas marcas sobre marcas antigas e por baixo das marcas que ainda hão-de vir.
e um outro salto na direccão da rocha desenhada num traco rude, e do verde tão bem (mas nunca) representado por pintores antigos, muito menos modernos mas sempre mais vivos e livres.
chego a fuengirola e sinto-me pronto para alcancar todos os sitios. limpo o pó das asas e continuo a viagem na imaginacão ao rubro.
vou deixando tiras do voo, estoy disfrutando deste momiento, e me encanta compartilo con vosotros. voy dejando el fumo dela pipa que se queda inspirado (vou deixando o fumo do cachinbo que se espera inspirado)
falem coisas...

10.8.06

façam um favor a vocês mesmos, viagem...

ando às cambalhotas no meu colchão de rebolar por todos os sítios, vulgo férias. próxima paragem: costa del sol. o meu irmão disse-me que as águas do mediterrâneo são aquecidas e eu acredito piamente. vou na prespectiva instável de criar para a banda, para o livro, para os blogs e para sabe-se lá mais o quê... (haja inspiração e tudo se (re)cria!) de lá mandarei noticias. (...) de cá mando beijos e abraços. e mando também o balanço tão caracteristico de saber-me longe, a sugar novidade e a encher cadernos que teimam em envelhecer vazios.

ciao...

9.8.06

talvez fosse ela...

armo-me em alguma coisa
indecifrável, e atiro-me sobre
a rua poluída de gente bonita,
e na volta trago-a no olhar esguio,
e completamo-nos pela noite dentro.

7.8.06

a ausência vem a propósito

FESTIVAL INTERNACIONAL DE DANÇAS POPULARES - Andanças partilhá-lo em palavras torna-se num exercício quase impossível. ali respira-se a não-ausência. há uma pré-disposição nas pessoas para se (re)descobrirem no outro. e há música. muita. (e ficou tanta música por cantar!) e claro está, as danças. a expressão do corpo adormecido na cidade recta. digo apenas que no andanças, o que verdadeiramente nos guia, é o coração. obrigado a quem lá esteve... ...e a quem me "ouve"!
A minha foto
........................gra(')f.ico.ismo.onola.......... demasiado colado à palavra para ser uma outra coisa que não isto. utopia de mim, abismos da imagem arrancada e digerida.

O ROSTO À LUPA DE MIM

blog inTemporal

O dia de hoje podia muito bem ter sido um outro. Amanhã vemos isso.
Loading...