29.7.06

disseste alguma coisa?

aproxima-se um concerto e em mim resta muita música. a loucura inerente a isso, guardo-a para que não fujas. ... neste jogo da partilha, preciso mesmo muito de ti.

escrevi esta letra, andavas tu
a rondar-me os sentidos...

cantas comigo?

27.7.06

como tantas outras...

a Inês queria ter uma vida mais faustosa, de um outro nível social, onde pudesse escrever e ler, e tocar piano em vez de trabalhar em casa...

25.7.06

na génese disto...

um momentâneo desencontro
das artérias impulsivas,
faz-me acreditar que acertei
no tempo mais propício do acto.
(...)
o contrário,
desmorona tudo
e retribui normalidade.

23.7.06

vamos?

hoje tenho tempo para seduzir o que me persegue. (...) levanto ligeiramente o véu ao que ainda vem. não vejo nada. (...) "ainda hão-de vir" dizem numa voz irreconhecivel. ... hoje era capaz de abrir os braços até às costas para te arrancar um pouco desse dentro que escondes como um filho. (...) dizes: a sabedoria está no silêncio - ouves? (...) faço de conta. atiro ao ar umas tantas banalidades. riu. rimos. a vida continua. as ondas continuam a bater-nos nas costas. (...) a razão não foi descoberta (nunca será!?) (...) enquanto nos atirarem areia para os olhos, vamos correndo essas avenidas imensas, procurando o mesmo fruto que nos garantiram não existir........ ...................( u - t - o - p - i - a)
A minha foto
........................gra(')f.ico.ismo.onola.......... demasiado colado à palavra para ser uma outra coisa que não isto. utopia de mim, abismos da imagem arrancada e digerida.

O ROSTO À LUPA DE MIM

blog inTemporal

O dia de hoje podia muito bem ter sido um outro. Amanhã vemos isso.
Loading...