27.9.06

parto de um falso vazio.
na essência do post, e em paralelo com tudo o que fui arquitectando, está o filme, "magnólia".
porque por vezes também em mim o amor se desencontra compulsivamente, e porque também em mim existem casualidades inexplicáveis, é por tudo isso e mais todo o resto de que sou feito, que me é impossível conter certas crises inexplicáveis de extremos. (...)
mas em vez da lágrima,
há o vómito.

em vez da flôr, há a escrita
e as outras artes.
em vez de uma visão
extritamente cinemática,
há uma visão cinemática
mas evidentemente parcial.
.
(...)
.
faço os filmes, mas no essêncial,
é na terra dura que os adorno.
.
.
é como no cinema. apagam-se
as luzes, e eu deixo-me levar
para dentro de mim, para depois
com mais tempo retocar arestas.
A minha foto
........................gra(')f.ico.ismo.onola.......... demasiado colado à palavra para ser uma outra coisa que não isto. utopia de mim, abismos da imagem arrancada e digerida.

O ROSTO À LUPA DE MIM

blog inTemporal

O dia de hoje podia muito bem ter sido um outro. Amanhã vemos isso.
Loading...