7.3.07

sou tantos rostos quanto as situações que encaro.

o verdadeiro, guardo-o para quando estou comigo. aí dispo-o de mutações camalionicas e rebusco-lhe os traços vincados e ínfimos.
O ROSTO À LUPA DE MIM

e há os amigos.
como certos livros.
.
CERTOS.
é certo.
que é como quem diz o que nos marcou pelo fundo.
.

A minha foto
........................gra(')f.ico.ismo.onola.......... demasiado colado à palavra para ser uma outra coisa que não isto. utopia de mim, abismos da imagem arrancada e digerida.

O ROSTO À LUPA DE MIM

blog inTemporal

O dia de hoje podia muito bem ter sido um outro. Amanhã vemos isso.
Loading...